Perdendo-me
Autora: Cora Carmack
Editora: Novo Conceito
Número de Páginas: 288
Nota: 4/5

Sinopse: Virgindade. Bliss Edwards vai se formar na faculdade e ainda tem a sua. Chateada por ser a única virgem da turma, ela decide que o único jeito de lidar com o “problema” é perdê-lo da maneira mais rápida e simples possível – com uma noite de sexo casual. Tudo se complica quando, usando a mais esfarrapada das desculpas, ela abandona um cara charmosíssimo em sua própria cama. Como se isso não fosse suficientemente embaraçoso, Bliss chega à faculdade para a primeira aula do último semestre e... adivinhe quem ela encontra. Não faz nem oito horas que eles estiveram juntos...

Depois de alguns meses e muitas protelações, finalmente eu li Perdendo-me. O livro foi lançado pela Editora Novo Conceito em 2014 e o segundo neste ano de 2015. Fingindo foi um dos três primeiros livros que recebi de parceria com a editora e como não sabia muito bem quando viria o terceiro e último da trilogia, deixei de lado total. Agora é fato. Em outubro teremos Encontrando-me e eu precisei criar vergonha na cara.

Lembrando que esta resenha está sendo publicada originalmente no blog O Diário do Leitor, mas pode ser vista e comentada também no Stories and Advice. Mesmo porque foi a Mari, dona do SAA que me emprestou ele (obrigada, amiga <3 ).

Em Perdendo-me, conhecemos Bliss Edwards. Ela está se formando e tem um pequeno empecilho em sua vida amorosa: a virgindade. Não que ela esperasse por seu príncipe encantado, mas ela apenas não tinha tido interesse o suficiente em consumir finalmente o ato. Mas agora ela se decidiu: esta noite ela a perderia, ou não se chamava Bliss. No barzinho com sua amiga Kelsey, ela é cantada pelo barman, mas ainda não sentiu aquelas chamas que vem de lá de dentro, rs. E é no caminho até o banheiro que ela encontra uma figura inusitada: um homem lendo Shakespeare. Em pleno bar. Aquilo não era possível. Não para um ser varão de verdade, hahaha.

Mas algo no olhar dele a aproxima e o contato entre os dois torna-se inevitável. É ele! E é claro que ela não pensa duas vezes antes de subir na moto dele e ir até onde ele mora. Mas além de queimar a perna no escapamento, Bliss descobre que ele é seu vizinho de prédio. Nada poderia dar mais errado.

Na realidade, poderia sim. E vai!

Na hora H, ela não consegue seguir adiante e finge ter um gato em um veterinário 24 horas, que precisa buscar urgentemente. É com essa desculpa esfarrapada que ela pensa se ver livre de Garrick.

No dia seguinte, o primeiro do último semestre da faculdade, ela tem uma grande revelação. Seu novo professor estivera em sua cama menos de 8 horas atrás. Será que eles poderão resistir ao que sentem um pelo outro?

Com certeza eu amei a escrita da Cora Carmack. Li o livro em apenas algumas horas e, com um conteúdo mais próximo da realidade juvenil e de toda garota, ela conseguiu encaixá-lo de forma suave e natural, sem forçar nada e com um linguajar de rápido entendimento. A leitura flui depressa e, com exceção de algumas descrições mais minuciosas (que eu acabo sempre pulando, rs), o livro é bem leve.

O ponto alto dele é com certeza as trapalhadas e peripécias da protagonista – e também narradora – Bliss Edwards. Gargalhadas são dadas a todo momento, principalmente quando ela “trava” perto de Garrick. Mas acompanhar todo o cavalheirismo, aliado a um bom toque de sensualidade por parte do professor, é tão fascinante. Mesmo com a diferença de idade (que não é muita), com a diferença de patamares educacionais, ele ainda consegue enxergar nela o que ninguém antes tinha visto. E é aí que surge o verdadeiro amor. Tão fofinho *-*.

A editora caprichou na diagramação interna e há um detalhe simples, mas bonito, logo no início de cada capítulo. Não lembro de ter encontrado erros de revisão, o que já é válido demais ;) .

Ah, com relação à capa. A Novo Conceito optou por permanecer com o mesmo estilo de capa da publicação original, apenas mudando a foto masculina. O que com certeza deixou Garrick com um ar mais velho, como realmente ele é no livro.


Em suma, o livro deixa um gostinho de quero mais e pode ser lido sem muitas expectativas. O clichê é algo encontrado em sua maioria, mas a forma com a qual a autora trabalha nele é incrível. Uma mistura de papo sério com humor. Não poderia ser melhor. 


2 Comentários

  1. Oiê
    eu li esse livro ano passado e achei muito bacana, ri um bucadão com essa protagonista cheia de surpresas e peripécias, rsrs, espero que o segundo livro seja muito bom, eu já comprei mais ainda não tive tempo de ler
    Bjks
    Passa Lá - http://ospapa-livros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Pamela! Eu costumo evitar sempre esses livros, porque me irrito com a forma tão romantizada e tranquila que as autoras escrevem sobre a primeira transa de uma moça. É claro que retratar o quão dolorido e difícil é essa experiência não é atrativo para um romance, mas já li livros que na primeira noite da garota ela tranquilamente repete a dose mais três vezes e se bobear ainda vai dançar numa balada depois hahahahaha é claro que essa experiência é única para cada garota, mas retratar de forma tão casual e um tantinho distante da realidade é algo que me incomoda bastante. Pelo que você falou o livro tem um tom de humor e foi o que me atraiu para colocá-lo em minha meta de leitura, só não vou garantir ler ainda esse ano hahahaha

    Adorei a resenha, bem escrita! Beijos!
    Vale a pena assistir Scream Queens?

    ResponderExcluir

Agradeço desde já sua visita, adoraria saber sua opinião, critica, elogio, sugestão.
Ah deixe seu link que assim que possível retribuo a visita e o comentário.
Alguma dúvida enviar o e-mail para mari.blogstoriesandavice@gmail.com.
Beijo Mari ♥