Título do Livro: Cartas para um Pai
Autor (a): Janaina Rico
Editora: Modo
Número de Páginas: 206
Onde comprar: Amazon 

Sinopse: Juliana achou que suas férias em João Pessoa renderiam apenas fotos e boas lembranças, mas não foi assim que as coisas se desenrolaram.
Uma gravidez inesperada alterou toda a sua vida e, para se comunicar com o pai do bebê, as cartas foram a melhor escolha.
Um livro emocionante e envolvente, sobre amores e a formação de uma nova vida.

Já faz um bom tempo que quero ler esse livro, sempre via alguém comentando dele no twitter e também para conhecer o outro lado da autora, só conheço o lado caliente da mesma. E assim que vi esse livro grátis na Amazom, baixei, aproveitei a oportunidade. E assim que baixei já iniciei leitura e até que gostei.


Como diz na sinopse: Julian viaja para João Pessoa e lá conhece Anderson, os dois vivem dias incríveis, regado a muita loucura, bebida e sexo. Ao voltar, Juliana percebe que há algo estranho como ela e quando vai atrás, descobre a gravidez. Juliana após a descoberta escolhe avisar Anderson, onde comunica que cuidará da criança sozinha e não aceita nenhuma ajuda dele. Apesar de Anderson não gostar nada, ela bate o pé e é feita a sua vontade. Mas, Juliana continua a mandar notícias para Anderson através de cartas e o resto só lendo para descobrir.

Cartas para um Pai é um livro envolvente, que me prendeu de forma positiva, pois queria ver se Juliana seria realmente capaz de ter essa criança sozinha. Queria ver como ela iria se virar, já que a mesma era uma pessoa que amava seu lindo corpo e ai de engordar. Outra coisa que queria saber era se Anderson iria ficar na dele, se iria fazer algo, que viria atrás da criança.

Algumas das coisas que me irritaram foram: Juliana querer cuidar da criança sozinha eu entendo, já que o moço esta longe, mas não permitir o mesmo registrar já achei demais, ta eu entendo que foi uma noite e nada mais. Mas porra! Anderson sempre demonstrou interesse e a mesma não permitia. Certeza que se fosse ao contrário estaria xingando. Outra coisa foi o modo lindo e carinho que ela chamava seu neném: “Alien” ta é um apelido carinhoso, mas né!! Sem falar que vivia reclamando das mudanças corporais, ficava se lamentando, meu Deus como isso me irritou!! Mas confesso que com o andar da carruagem isso mudou e até que fim, aquele amor materno me convenceu de sua verdade. Eu sei e entendo que o mesmo acontece com muitas mulheres por ai, mas sei lá, vamos pensar antes de abrir as pernas né?! Uma bebedeira, regada a algo a mais, nunca cega ninguém, muitos mesmo os neurônios e suas consequências. Há já esquecendo, outra coisa que senti falta, foi Anderson correndo atrás, eu sei que a história quis mostrar o lado da mãe solteira e independente, mas cadê o moço agindo? Cadê ele lutando pelo filho, mas depois que fui ver que tem outro livro: Cartas para um Filho que espero eu que seja do Anderson para a criança.

Vamos parar de reclamar e falar que sim o livro deve ser lido, é um livro muito bonito, envolvente, que mostra que sim uma mulher pode muito bem se virar nos 30 e ter sim uma criança independente, sem ficar dependendo de cueca. O livro mostrou a realidade de muitas mães por ai, mostrou o quanto esse ser chamado “mulher” é forte e que nada a derruba.


A vida nos prega peças e precisamos aprender a lidar com elas. Nada é fácil nem difícil nessa vida.


Deixe um comentário

Agradeço desde já sua visita, adoraria saber sua opinião, critica, elogio, sugestão.
Ah deixe seu link que assim que possível retribuo a visita e o comentário.
Alguma dúvida enviar o e-mail para mari.blogstoriesandavice@gmail.com.
Beijo Mari ♥